O Diálogo Famíliar e o Exemplo: caminho para construção de um mundo melhor

Hoje estreio como articulista da página da Paróquia de Nossa Senhora da Conceição. Participo das Equipes de Nossa Senhora e sou professora de Língua Portuguesa, aposentada pelo Estado. Porém trabalho na Secretaria Municipal de Educação Básica de Ceará-Mirim, com Formação Continuada de Professores e estou na coordenação da Área de Linguagem Código e suas tecnologias, no segmento de Ensino Fundamental- anos finais. Sou poetisa e acredita na família como uma fonte de equilíbrio e transformação da sociedade.

Imagem: http://www.alagoas24horas.com.br/Quando olhamos em torno de nós mesmos, observamos que o mundo se apresenta de modo assustador.  A Violência, a permissividade o desrespeito familiar, a libertinagem, os desmandos sócio-políticos, dentre outros, são palavras de ordem na sociedade e no universo de muitos lares, porque dentro da maioria deles, todas essas coisas passaram a ser vistas e consideradas como normais.



Imagem: http://www.alagoas24horas.com.br/Quando olhamos em torno de nós mesmos, observamos que o mundo se apresenta de modo assustador.  A Violência, a permissividade o desrespeito familiar, a libertinagem, os desmandos sócio-políticos, dentre outros, são palavras de ordem na sociedade e no universo de muitos lares, porque dentro da maioria deles, todas essas coisas passaram a ser vistas e consideradas como normais.Há filhos que ditam as regras em casa. Há pais que tudo aceitam e calam diante dos desmandos dos filhos.

Em lares assim, os papéis se invertem e os resultados são drásticos. Quando os verdadeiros donos da situação tentam resgatar o poder, já não conseguem segurar as rédeas. Elas esticaram demais na direção contrária de modo que lhes escaparam ao alcance das mãos.

O livro do Eclesiástico, quando trata sobre a exortação dos filhos, chama os pais às responsabilidade sobre a educação dos filhos e nos apresenta importantes reflexões das quais podemos extrair uma das mais importantes lições, para a fundação de uma família, onde os valores morais e cristãos se traduzem em harmonia e honradez, como é possível comprovar através nos versículos que seguem:


Aquele que dá ensinamento ao seu filho será louvado por causa dele,

e nele mesmo se gloriará entre seus amigos.

Aquele que educa o filho torna o seu inimigo invejoso,

e entre seus amigos será honrado por causa dele.” (Eclo, 30,2-3)


No entanto, nos alerta, também, sobre o mal produzido, pelo descaso, no que tange o ato de educar:

“Não te ponhas a ri com ele, para que não venhas a sofrer com isso,

e não acabes rangendo os dentes.

Não lhe dês toda liberdade na juventude,

não feches os olhos às suas extravagâncias...” (Eclo, 30, 10-11s)

Diante do exposto é impreterível, portanto, ensinar aos filhos a diferença entre o “sim” e o “não”. Que na vida há um tempo para cada coisa. E que há coisa que devem ser descartadas pelo homem constituído em dignidade e que é temente a Deus. A firmeza com que devemos educar os nossos filhos não pode ser a do faz de conta. Isso deve acontecer desde os primeiros anos de vida. Não podemos voltar atrás apenas para satisfazer os seus intentos. Simplesmente para agradá-los. Todas as exigências têm seu significado. Basta ver como Jesus é firme nos seus ensinamentos. O diálogo precisa ser uma constante na vida dos pais e dos filhos. A retidão um exemplo a ser seguido por eles.  Pois, vale ressaltar que é no seio da família que se inicia a construção de um mundo melhor. Mais justo e igualitário. Aí, são plantadas as sementes do bom exemplo, da solidariedade, da honestidade, do amor e do perdão. É nela que se aprende a trilhar o caminho para uma vivência cidadã, onde podemos colher os frutos da integridade, da verdadeira liberdade. Aquela pautada na ética, na moral e nos valores cristão.

O tempo é a passarela pela qual transita a maturidade. A observação o caminho para encontrá-la. O presente uma certeza que se transformará num futuro que se aproxima de modo gradativo.

Desta forma, o zelo pela formação integral dos filhos no seio da família, o desejo de transformá-los em gente de bem, cidadãos comprometidos, conscientes e responsáveis, sob o nosso olhar atento e incansável são os canais da graça de Deus pelos quais podemos galgar a construção de um mundo melhor.

Aos filhos, ainda, segundo a orientação de Eclo 3,2-3, Deus ordena:

Ouvi, meus filhos, os conselhos do vosso pai,

segui-os de tal modo que sejais salvos.

Pois Deus quis honrar os pais pelos filhos,

e cuidadosamente fortaleceu a autoridade da mãe sobre eles”.

A sintonia entre pais e filhos transforma a família numa instituição sagrada e feliz porque o amor se faz presente em todos os momentos da sua vida.  Por isso precisamos ser família no lar e na comunidade onde vivemos. Ser exemplo para a construção de um mundo melhor.

Produzir na família e com a família respostas de fé para os fatos e situações novas que surgem como males do mundo para a destruição familiar, com base no Evangelho que nos aponta o caminho da libertação, é tarefa diária na vida de todos os cristãos.

Embora saibamos que somos, inteiramente, responsável pela nossa família, isso, não impede que possamos ajudar a outras a transformar a sua.



Desenvolvido pela Pastoral da Comunicação - Paróquia de Nossa Senhora da Conceição (2017)

Área Restrita