Setor Frei Galvão desperta vocação religiosa

Meu nome é Irmão Tarcísio Matias de Maria Imaculada e da Paixão Senhor. Faço parte do Instituto dos Filhos da Preciosa Vida. Vou contar um pouco da minha história e dar testemunho da ação de Deus na vida de quem Ele escolhe.

Sou de uma família muito simples e humilde, nasci na cidade de Ceará-mirim interior do Rio Grande do Norte no dia 22 de agosto de 1985 e cresci em Massaranduba, um pequeno povoado a 30 minutos da capital Natal. Fui batizado nas Santas Missões do Frei Damião de Bolzano no dia 8 de fevereiro 1986 na Capela de São José. Sou de família católica, minha mãe chama-se Varlúcia e meu pai José Eduardo, também sou o primogênito de seis filhos todos homens, porem somente três vivem.



altMeu nome é Irmão Tarcísio Matias de Maria Imaculada e da Paixão Senhor. Faço parte do Instituto dos Filhos da Preciosa Vida. Vou contar um pouco da minha história e dar testemunho da ação de Deus na vida de quem Ele escolhe.

Sou de uma família muito simples e humilde, nasci na cidade de Ceará-mirim interior do Rio Grande do Norte no dia 22 de agosto de 1985 e cresci em Massaranduba, um pequeno povoado a 30 minutos da capital Natal. Fui batizado nas Santas Missões do Frei Damião de Bolzano no dia 8 de fevereiro 1986 na Capela de São José. Sou de família católica, minha mãe chama-se Varlúcia e meu pai José Eduardo, também sou o primogênito de seis filhos todos homens, porem somente três vivem.

Ingressei na catequese com seis anos na Capela de Nossa Senhora da Conceição Aparecida, foi quando o amor que minha mãe me ensinou ter nas orações antes de dormir, à Deus fez sentido. Comecei a querer ser igual aos Santos que eu via representados nas imagens da Capela, adorava brincar de missa onde eu imitava monsenhor Rui Miranda o padre que celebrava missa uma vez por mês na Capela. Por ser muito tímido eu não gostava de brincar com as crianças vizinhas, amava fazer cidades de pedras onde não podia faltar a igreja, e com botões de rosas eu fazia as pessoas dessa cidade, eu interpretava cada pessoa principalmente o padre. Também gostava de desenhar imagens de santos em seus altares, eu tinha uma coleção de deles. Todos que perguntavam o que eu queria ser quando crescesse eu respondia que queria ser padre.

Aos nove anos fiz a primeira comunhão no dia 12 de outubro 1994, motivo de grande realização para mim, pois eu passei a participar do banquete do Cordeiro. Mas como a maioria das crianças acabei me afastando da igreja e só voltei aos quatorze anos quando convidaram-me para participar do primeiro grupo de jovens da Capela, foi então que eu senti novamente o amor de Deus me reanimando espiritualmente. Por ser muito tímido não tive muitas namoradas só algumas passageiras, mas que não me fizeram feliz plenamente, pois não era o que Deus e eu queríamos de verdade.

Com dezesseis anos decidi morar com minha avó perto das minhas tias no Rio de Janeiro, isso fez com que eu me afastasse mais uma vez da igreja. Mas ao longo do tempo comecei sentir a falta de Deus, e após dois anos decidi fazer a preparação para a crisma na Paróquia Nossa Senhora de Bonsucesso onde ouve o extraordinário. Em uma adoração, a primeira adoração da minha vida, toda a minha história passava diante dos meus olhos e por fim uma única coisa me chama atenção em minha historia; Deus me preservou de muitas coisas e sempre me deu sinais de que me chamava para algo maior. Dai deixei- me seduzir pelo olhar de Jesus Sacramentado e aceitei o seu chamado. Porem por ser muito tímido não sabia como isso iria acontecer, mas como Jeremias, deixei que Deus realizasse sua vontade na minha vida.

Deus me chamava, mas para que eu ainda tivesse certeza, senti a necessidade de passar um ano em oração para discernir melhor. Portanto um ano depois dei o meu sim definitivo a Deus, dai falei com o padre, amigos, minhas tias e avo. Porem neste mesmo tempo a minha mãe teve um problema no coração e precisava passar por uma cirurgia, então fui a Natal cuidar dela na esperança de voltar em três meses, o tempo básico de sua recuperação, para eu começar o caminho vocacional.

Porem, como minha família é muito humilde não pode pagar a minha viagem de volta ao Rio e só depois de um ano e meio consegui voltar. Foi uma verdadeira providencia divina, pois com a ajuda dos amigos que conquistei na crisma, eles me ligaram e perguntaram se eu ainda queria seguir minha vocação ao que respondi que sim, me disseram que no Complexo da Maré havia um jovem padre que tinha fundado recentemente um novo instituto de vida consagrada e com um carisma de evangelizar os marginalizados. Então no dia 3 de julho de 2008 em uma terça-feira, voltei pro Rio e na sexta participei de um retiro de jovens onde o padre fundador do instituto celebrou a missa. Já de cara me apaixonei pelo instituto, e em um show (Maré para Cristo) promovido pelo instituto falei com o padre e com o promotor vocacional, então comecei fazer o caminho vocacional, em janeiro fiz um retiro, e no dia 11 de fevereiro de 2008 ingressei no instituto.

Então passei pelas etapas do vocacionado, aspirantado e postulantado e em 29 de dezembro de 2011 entrei no noviciado. Hoje estou com 6 anos de instituto, estudo na Faculdade de São Bento do Rio de Janeiro cursando filosofia e teologia, mais ainda falo a mesma coisa que falei quando dei o meu sim a Deus “ha eu não sei falar pois sou apenas uma criança”, mas com a graça de Deus e com os ouvidos atentos ao que Ele quiser falar, desejo somente fazer a sua vontade.


Bem como viram Deus tem sempre um objetivo maior para a nossa vida.

Qual é o seu? Já parou pra pensar? Pergunte a Deus, peça ao Espírito Santo que lhe mostre e deixe que Ele fale com você. Não deixe o tempo passar sem você saber o que ele quer pra sua vida.

Bendito, louvado e glorificado seja Senhor e Rei, Jesus Cristo!

Foi-me dirigida nestes termos a palavra do Senhor:

5. Antes que no seio fosses formado, eu já te conhecia; antes de teu nascimento, eu já te havia consagrado, e te havia designado profeta das nações.

6. E eu respondi: Ah! Senhor JAVÉ, eu nem sei falar, pois que sou apenas uma criança.

7. Replicou porém o Senhor: Não digas: Sou apenas uma criança: porquanto irás procurar todos aqueles aos quais te enviar, e a eles dirás o que eu te ordenar.

8. Não deverás temê-los porque estarei contigo para livrar-te - oráculo do Senhor.




Desenvolvido pela Pastoral da Comunicação - Paróquia de Nossa Senhora da Conceição (2017)

Área Restrita